Campanha contra o veneno de rato

Um crime cotidiano apavora todos os que gostam de animais: o extermínio de cães e gatos por envenenamento. O delito é praticado principalmente com o uso de "chumbinho", uma substância de venda teoricamente controlada, mas facilmente adquirida em lojas agropecuárias em todo o país e em algumas cidades encontrada até mesmo em feiras livres e camelôs.O "chumbinho" (carbamato aldicarb) é um agrotóxico proibido em diversos países, mas seu uso é permitido no Brasil, onde é também o responsável pelo maior número de mortes por intoxicação entre humanos. Esta ocorre de forma acidental, atingindo grande número de crianças, bem como intencionalmente, em 80% das tentativas de suicídio e na maioria dos casos de homicídio por envenamento.
Muitas das intoxicações ocorrem pela ingestão de alimentos contaminados. Um único grama do veneno pode matar uma pessoa de até 60 quilos. Se inalado, o produto percorre a corrente sangüínea e também pode levar rapidamente à morte.Toxicologistas dizem que o veneno não tem cheiro nem gosto, mas lesa o sistema nervoso central, causando transtorno neurológico, parada cardíaca e paralisia dos pulmões. Quem o ingere fica inerte, baba, tem convulsões e pode morrer por asfixia. Em cães e gatos o efeito é bem semelhante, atingindo principalmente pulmões, fígado e rins.

O sofrimento é atroz.
O nome popular "chumbinho" se deve a sua forma de apresentação, em pequenos grãos de cor cinza-chumbo. Comercializado com o nome de Temik 150, é produzido pela poderosa multinacional alemã Bayer. Sua venda é autorizada em estabelecimentos credenciados, mediante a apresentação da receita emitida por um profissional agrônomo e apenas em sacos de 20kg. Na lavoura é usado principalmente em plantações de algodão, batata, café, cana-de-açúcar, cítricos e feijão, onde esta substância também contamina o solo e o lençol freático.














Porém, o produto
é vendido quase livremente em lojas agropecuárias não autorizadas, sem a apresentação de receita e de forma fracionada e sem rotulagem, para uso como raticida e para extermínio de animais domésticos, especialmente de cães e gatos. Não é difícil obter pequenos pacotes com cerca de 20 gramas do poderoso veneno, junto a comerciantes que "driblam" a frágil fiscalização. Inicialmente desconfiados, os vendedores logo tiram o produto de trás do balcão quando lhes é pedido um "raticida mais forte" (que os convencionais), um "veneno pra matar um bicho maior" (cães, gatos etc) ou "as bolinhas cinzas pra matar rato".
Este é o meu gatinho Bobi, ele morreu vítima de envenenamento (provavelmente veneno de rato) no ano de 2008.
(Foto de Michele) 
 As intoxicações e mortes ocorrem há décadas e o IDEC - Instituto de Defesa do Consumidor, de São Paulo, desde 2003 vem pedindo providências à ANVISA- Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Porém, a venda e o uso indiscriminados continuam fazendo inúmeras vítimas.Segundo ambientalistas, é raro flagrar os envenenadores de cães e gatos, quase sempre moradores ou comerciantes da região onde cometem este outro crime, o de maus-tratos aos animais (Lei Federal 9065/98, artigo 32). Agem alegando o "incômodo" causado pelos cães ou para evitar ataques de gatos a pássaros engaiolados, animais da fauna silvestre, estes muitas vezes mantidos de forma ilegal. "O envenenamento por ‘chumbinho’ é uma das principais crueldades perpetradas contra cães e gatos e intoxica muitos humanos, levando-os a uma morte terrível. O comércio e uso da substância deveriam ser totalmente proibidos no Brasil. Emergencialmente, a forma mais eficaz de combater esta ilegalidade é fiscalizar as agropecuárias e punir severamente os criminosos, que ironicamente vivem às custas dos animais. Inclusive com o fechamento de seus estabelecimentos. Porém, a fiscalização tem se mostrado muito deficiente. As autoridades alegam dificuldades para flagrar estes comerciantes inescrupulosos, mas qualquer cidadão compra facilmente o produto", denunciam os ativistas.
Maurício Varallo
Coordenador do site Sentiens Defesa Animalwww.sentiens.net
Fiz algumas modificações, mas este texto copiei do seguinte endereço:
Aqui em Espigão do Oeste isso também tem acontecido. Tenho amigos que estão sofrendo porque todos os gatos de sua casa morreram envenenados. Nós precisamos dos gatos pois eles são predadores naturais dos ratos. Sem eles seria impossível controlar a infestação de ratos.
Gostaria que me ajudassem na campanha contra o veneno de ratos.
Este tipo de veneno é muito perigoso.
No mercado há opções de veneno de rato que não prejudica os gatos.
Uma das opções é o Bromy-L, Bromadiolona. Ele é amargo e isso inibe a ingestão por outros animais domésticos ou pessoas.

Comentários

Postagens mais visitadas